^ Back to Top
Ajuntar aos favoritos
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
Corretora, informação, aconselhamento, análise,
  • Alertas via correio electrónico
  • Para ser informado das novidades via correio electrónico:
  • Frequência :

  • Smartphone aplicação
  • Artfinding Application Iphone Artfinding Application Android Artfinding Application Windows Phone
  • Art market phone application
  • Newsletter
  • Para receber as mais recentes actualidades do mercado de arte, inscreva-se na nossa: NEWSLETTER
  • Para receber as mais recentes actualidades do mercado de arte, inscreva-se na nossa: NEWSLETTER Blogger
  • Newsletter Newsletter
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
País :
Século :
Estatísticas: :Estatísticas:
Google Trends :Google Trends
Top 100 :Os artistas mais populares

Biografias de artistas : Maurice de VLAMINCK

Data de nascimento: 1876
Data de falecimento: 1958

Nacionalidade : Maurice de VLAMINCK

Maurice de VLAMINCK
descrição original : descrição original Sugerir uma tradução melhor
Tradução automática Tradução automática !

 

Maurice de Vlaminck (4 de abril de 1876 - 11 Outubro 1958) foi um pintor francês. Junto com André Derain e Henri Matisse, é considerado uma das figuras principais do movimento fauvista, um grupo de artistas modernos que 1904-1908 foram unidas em seu uso de cores intensas. Maurice de Vlaminck nasceu em Paris a uma família de músicos. Seu pai lhe ensinou a tocar violino. Ele começou a pintar no final da adolescência. Em 1893, ele estudou com um pintor chamado Henri Rigalon na Ile de Chatou. Em 1894 casou-se com Suzanne Berly. O ponto de viragem na sua vida foi um encontro casual no trem para Paris no final do seu período no exército. Vlaminck, então 23, conheci um aspirante a artista, André Derain, com quem iniciou uma longa amizade. Quando Vlaminck completou seu serviço militar em 1900, os dois alugaram um estúdio juntos por um ano antes Derain deixou de fazer seu próprio serviço militar. Em 1902 e 1903, ele escreveu vários romances levemente pornográficas ilustradas por Derain. Ele pintou durante o dia e ganhava a vida dando aulas de violino e tocando com bandas musicais à noite. Em 1911, Vlaminck viajou para Londres e pintado pelo Thames. Em 1913, ele pintou novamente com Derain em Marselha e Martigues. Na Primeira Guerra Mundial ele foi postado em Paris, e começou a escrever poesia. Eventualmente, ele se instalou nos subúrbios do noroeste de Paris. Ele se casou com sua segunda esposa, Berthe Combes, com quem teve duas filhas. A partir de 1925, ele viajou por toda a França, mas continuou a pintar principalmente ao longo do Sena, perto de Paris. Um contador de histórias praticado, Vlaminck escreveu autobiografias muitos, marcado pouco, quer por falta de confiança ou de adesão à verdade. Duas das pinturas inovadoras de Vlaminck, Sur le zinco (no bar) e L'homme a la pipe (Homem fumando cachimbo) foram pintados em 1900. Para os próximos anos Vlaminck vivia em ou perto Chatou (a inspiração para suas casas de pintura em Chatou), pintando e expondo ao lado de Derain, Matisse, pintores e outros fauvista. Neste momento a sua aplicação de pintura exuberante e uso vibrante de cor exibida a influência de Vincent van Gogh. Sur zinco le chamou a atenção para a obra de Toulouse-Lautrec e seus retratos de prostitutas e bebedores solitários, mas não tenta sondar a babá de psicologia, uma ruptura com a tradição centenária Europeu do retrato individualizado. De acordo com a arte crítico Souren Melikian, é "o desenho impessoal de um tipo". Em suas pinturas de paisagens, sua abordagem foi semelhante. Ele ignorou os detalhes, com a paisagem se tornando uma mera desculpa para expressar humor através da cor e pinceladas violentas. Um exemplo é Sous Bois, pintado em 1904. No ano seguinte, ele começou a experimentar com a "desconstrução", transformando o mundo físico em pinceladas e manchas de cor que transmitem uma sensação de movimento. Suas pinturas Le Pont de Chatou (The Bridge Chatou), Les Ramasseurs de pommes de terre (Os Catadores de batata), La Seine um Chatou (O rio Sena, em Chatou) e Le Verger (The Orchard) exemplificam esta tendência. Vlaminck composições mostram familiaridade com os impressionistas, vários dos quais haviam pintado na mesma área em 1870 e 1880. Depois de visitar uma van Gogh exposição, ele declarou que "amava van Gogh que dia mais do que meu próprio pai". A partir de 1908 sua paleta cresceu mais monocromática, ea influência predominante foi a de Cézanne. Seu trabalho posterior exibida uma paleta escura, pontuado por traços de pesados ​​contrastando tinta branca.

descrição original : descrição original (Tradução automática)
 

Maurice de Vlaminck (4 April 1876 – 11 October 1958) was a French painter. Along with André Derain and Henri Matisse he is considered one of the principal figures in the Fauve movement, a group of modern artists who from 1904 to 1908 were united in their use of intense color. Maurice de Vlaminck was born in Paris to a family of musicians. His father taught him to play the violin. He began painting in his late teens. In 1893, he studied with a painter named Henri Rigalon on the Ile de Chatou. In 1894 he married Suzanne Berly. The turning point in his life was a chance meeting on the train to Paris towards the end of his stint in the army. Vlaminck, then 23, met an aspiring artist, André Derain, with whom he struck up a lifelong friendship. When Vlaminck completed his army service in 1900, the two rented a studio together for a year before Derain left to do his own military service. In 1902 and 1903 he wrote several mildly pornographic novels illustrated by Derain. He painted during the day and earned his livelihood by giving violin lessons and performing with musical bands at night. In 1911, Vlaminck traveled to London and painted by the Thames. In 1913, he painted again with Derain in Marseille and Martigues. In World War I he was stationed in Paris, and began writing poetry. Eventually he settled in the northwestern suburbs of Paris. He married his second wife, Berthe Combes, with whom he had two daughters. From 1925 he traveled throughout France, but continued to paint primarily along the Seine, near Paris. A practiced story teller, Vlaminck wrote many autobiographies, marred little either by lack of confidence or adherence to the truth. Two of Vlaminck's groundbreaking paintings, Sur le zinc (At the Bar) and L'homme a la pipe (Man Smoking a Pipe) were painted in 1900. For the next few years Vlaminck lived in or near Chatou (the inspiration for his painting houses at Chatou), painting and exhibiting alongside Derain, Matisse, and other Fauvist painters. At this time his exuberant paint application and vibrant use of color displayed the influence of Vincent van Gogh. Sur le zinc called to mind the work of Toulouse-Lautrec and his portrayals of prostitutes and solitary drinkers, but does not attempt to probe the sitter's psychology—a break with the century-old European tradition of individualized portraiture. According to art critic Souren Melikian, it is "the impersonal cartoon of a type." In his landscape paintings, his approach was similar. He ignored the details, with the landscape becoming a mere excuse to express mood through violent color and brushwork. An example is Sous bois, painted in 1904. The following year, he began to experiment with "deconstruction," turning the physical world into dabs and streaks of color that convey a sense of motion. His paintings Le Pont de Chatou (The Chatou Bridge), Les Ramasseurs de pommes de terre (The Potato Pickers), La Seine a Chatou (The River Seine at Chatou) and Le Verger (The Orchard) exemplify this trend. Vlaminck's compositions show familiarity with the Impressionists, several of whom had painted in the same area in the 1870s and 1880s. After visiting a van Gogh exhibit, he declared that he "loved van Gogh that day more than my own father". From 1908 his palette grew more monochromatic, and the predominant influence was that of Cézanne. His later work displayed a dark palette, punctuated by heavy strokes of contrasting white paint.

Fonte do texto: : http://www.wikipedia.org

- Ver o vídeo do artista Maurice de VLAMINCK Vidéo Maurice de VLAMINCK

Eis uma selecção de artigos de imprensa que mencionam o artista : Maurice de VLAMINCK

411 955 € POUR UNE OEUVRE DE MAURICE DE VLAMINCK

LEILÕES : 2013/04/17 411 955 € POUR UNE OEUVRE DE MAURICE DE VLAMINCK

Drouot RichelieuVendredi 12 avril 2013 Piasa En salle 14, la Société de Ventes Volontaires Piasa organisait une vacation de dessins, tableaux et sculptures des XIXe et XXe siècles. L’enchère vedette a concerné une huile sur toile représentant un Vase de fleurs par Maurice de VLAMINCK (1876-1958), adjugée 411 955 € frais inclus. Issue de la période fauve du peintre, cette toile datée de 1905-1906, signée en bas à gauche, est l’un des exemples les plus représentatifs de l’oeuvre de l’artiste à cette Ler o artigo...



Eis uma selecção de artistas que viveram na mesma época em que o artista: XXX Maurice de VLAMINCK


img_search

Avaliações gratuitas de obras de arte on-line


Deseja avaliar gratuitamente, pela internet, uma obra de arte de Maurice de VLAMINCK
? Então, contacte os nossos peritos :


OBTER UMA AVALIAçãO

Comentários

    Comentários. Seja o primeiro a colocar um comentário!

Adicionar um comentário:






© Artfinding 2006,2014
Created by Intelligence Power